terça-feira, 22 de agosto de 2017

DESEMPREGADOS EM LUTA!

 Isso que chamam de crise, nós chamamos de capitalismo, para os patrões somos custo de produção, então, para manter o lucro, demitem pais e mães de familía, não importa nada para os exploradores as necessidades do povo. A luta organizada em núcleos sindicais precisa ser também a luta dos desempregados. São milhões de companheiros demitidos sem qualquer chance de defesa, o sindicalismo institucional/pelego aceitou tudo, negociam demissões, tentam suavizar; é impossível aceitar situações assim, a defesa dos postos de trabalho deve ser intransigente. O demitido precisa se organizar, eles usam da desorganização da classe trabalhadora para pagar cada vez menos, os patrões, que nas horas vagas são também os governantes cortam direitos e condicionam a geração de emprego ao corte em direitos, assim, o trabalhador aceita qualquer condição de trabalho.
 Queremos trabalhar! Queremos condições dignas, vamos aos piquetes, vamos reativar a maneira como sempre lidamos com nossas reivindicações, com luta! As condições no SINE de Araxá não consideramos adequadas, muito abaixo da necessidade.  As grandes empresas que fazem alarde sobre contribuições ao municipio, são as primeiras a demitir.  Assembleias, ação direta - piquetes!
Lutar é preciso, o desemprego faz muitos aceitarem qualquer condição de trabalho, coloca nossa gente nas mais profundas necessidades. Nós não aceitamos negociar demissões. Consideramos o desemprego uma abominação, um crime dos ricos contra os pobres, por isso consideramos necessário retomar os piquetes.  Os companheiros e companheiras desempregados, passar a realizar assembleias de desempregados em frente ao SINE Araxá, os velhos resquicios locais da ditadura não nos assustam. Lutar é necessário, desempregados em luta, piquetes contra o desemprego! Basta de desorganização e exploração. Nossos núcleos avançam, esse é um chamado pelo justo e urgente.  
Não podemos aceitar a situação atual calados, companheiros e companheiras que estiverem deprimidos com a situação de desemprego, vamos discutir e organizar as vitimas do sindicalismo vendido, do gover



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

FORA TODOS!

Estamos cansados de trabalhar para sustentar parasitas, estamos cansados de enfrentar o desemprego para garantir o lucro dos empresários. É hora de lutar, fora todos eles, sem mais parasitas; ocupar ruas, praças e locais de trabalho, promover assembleias e exigir oque é nosso. Não somos massa de manobra daqueles sindicalistas pelegos que no poder negociaram com os patrões e desorganizaram a classe trabalhadora. Organize-se para se defender, para defender seus companheiros e companheiras. Contra as reformas trabalhista e da previdência, contra todos os partidos e políticos - #FORATODOS  !  Somos a Confederação Operária Brasileira. Sem pátria, sem partido e sem patrão.

Autogestão operária de lutas!


SOLIDARIEDADE AOS TRABALHADORES DA GERDAU EM OURO BRANCO.

 Expressamos nossa solidariedade e nossos sentimentos aos trabalhadores e familiares dos trabalhadores mortos na planta de Ouro Branco, na última terça-feira 15 de agosto. O sindicato dos metalúrgicos já havia denunciado a situação de risco na usina em questão, em novembro de 2016 outros 3 trabalhadores morreram vitimas de um acidente durante serviços de manutenção.  São vários os relatos dos riscos dessa planta, enquanto a Gerdau pede aumento da produção. Nossa total solidariedade aos companheiros da Gerdau-Ouro Branco-MG, por melhorias imediatas e condições seguras de trabalho.
ACIDENTE LABORAL
TERRORISMO PATRONAL

Sindivários Araxá
COB-AIT

sábado, 12 de agosto de 2017

ORGANIZE-SE E LUTE.

 Quando se fala "sindicalismo" a primeira imagem que vem na cabeça da maioria é um sujeito que não trabalha, vive do sindicalismo e acordos com as patronais que rendem muitos benefícios ao sindicalista e muitos prejuízos para os trabalhadores.
  Realmente o sindicalismo institucional é um ninho de parasitas. Nós, denunciamos este sindicalismo farsante, recordamos nosso passado, para recordar a classe trabalhadora que existia sindicalismo antes da CUT, desde que as centrais institucionalizadas se tornaram maioria só temos perdido direitos, com o anarcossindicalismo histórico da COB não era assim, a burguesia temia a classe trabalhadora, a classe trabalhadora tinha claro quem eram os inimigos, nada de vender direitos como fazem as atuais centrais. Um dia fomos a maior confederação de sindicatos do Brasil, no passado de ditaduras a COB foi roubada e perseguida pelo Estado, mas o anarcossindicalismo arma da classe trabalhadora não desaparece como gostariam patrões, governantes e marxistas, o anarcossindicalismo esta vivo, é a sua arma para se defender da exploração! Esta insatisfeito com o sindicato institucional na sua empresa? Junte-se aos seus companheiros, discuta, organize-se e forme um núcleo de defesa dos trabalhadores, um sindicato de verdade!  Estes núcleos e sindicatos federados formam federações que visam dar força e ampliar a capacidade de luta e resistência dos associados, estas federações de núcleos e sindicatos formam a Confederação Operária Brasileira, uma organização histórica e atual para a classe trabalhadora, onde as assembleias são soberanas, e o indivíduo goza da máxima liberdade no sindicato. Não participamos da eleições de chapas sindicais, não recebemos subsídios do Estado, não existem profissionais do sindicato, não somos fantoches de partidos políticos, somos a classe trabalhadora fazendo sua própria defesa.  Esta provado que o sindicalismo institucionalizado vende nossos direitos, não esperemos mais, mais tempo de desorganização semeado pelas grandes centrais e acabaremos completamente escravizados. As patronais avançam contra nossos direitos, é nosso dever nos defender, garantir postos de trabalho, melhorias imediatas e bem estar. Nossas armas são o apoio mutuo, a solidariedade e ação direta. Não perder mais direitos, nossa defesa é o sindicato, nosso sindicato é COB - seção brasileira da associação internacional dos trabalhadores.  



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

TERCEIRIZAÇÃO É PRECARIZAÇÃO

Sem os mesmos direitos, não tem o mesmo tratamento e nem os mesmos convênios - as terceirizações precarizam o trabalho e dividem a classe trabalhadora. É uma grande mentira que as terceirizadas cumprem demandas temporárias, são muitas as empresas que estão realizando trabalhos terceirizados faz muitos anos, sempre com salários menores e condições inferiores de contratação e até mesmo alimentação - até os refeitórios são segregados na maior mineiradora de Araxá. São situações que evidenciam a inutilidade do sindicato institucional, uma vez que a grande maioria esta vinculada em outros sindicatos- com acordos inferiores ao sindicato de minas. As pequenas paralizações devem avançar - as demissões de efetivados devem parar - todos os terceirizados devem ser incorporados diretamente a companhia.  As terceirizações são uma fraude contra nossos direitos, as terceirizações são precarização.  Pela unidade da classe trabalhadora, pela unidade dos terceirizados, por igualdade de direitos.



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Bem estar , Liberdade e defesa dos nossos postos de trabalho..

O máximo bem estar social para todos e todas, esse bem estar social só pode ser fruto de nossas lutas, a classe trabalhadora organizada em seus próprios sindicatos, sem depender em nada das centrais sindicais institucionalizadas. A perda de direitos que estamos sofrendo pode ir pra conta do sindicalismo pelego e seus pares dos partidos políticos. É fato que o Estado é defensor da burguesia, corta direitos e reprime quem se coloca contra as injustiças. Não somos iludidos com o Estado, somos uma parcela da classe trabalhadora que indefesa se organiza contra todos os ataques das patronais e governantes.  Só a luta garante direitos, as paralizações espontaneas são exemplo de uma classe trabalhadora que se organiza e luta, estas lutas unidas em apoio mutuo e solidariedade tornam as reivindicações ainda mais fortes.  São muitos os exemplos de sindicatos fajutos que estão vendendo nossos direitos, negociando acordos coletivos na madrugada e pelas costas de todos.
Nossa defesa é obra da nossa própria organização e de ninguém mais.

Não aceitamos as reformas trabalhista e da previdência.

                 


Por bem estar e por nosso direito de trabalhar.

 Contra a transferência de planta indústrial da cidade de Araxá para Perdizes com demissões aos que se negam mudar de cidade, depois de prejudicar a saúde de muitos com turnos desumanos, as patronais não se importam, simplesmente vão para onde podem explorar melhor.  O sindicalismo institucionalizado que entregou nossos direitos, esta também vendendo nossos postos de trabalho.
Por nossa organização.
Por bem estar e liberdade para todos e todas.
Contra a transferência de planta industrial e contra as demissões.



sábado, 5 de agosto de 2017

FORA TODOS!

  Se todos os governos jogam contra o trabalhador - é papel do sindicato lutar contra todos os governos. Diferente das centrais e seus sindicatos vendidos, nós estamos em luta, em defesa dos nossos direitos que estamos perdendo. Enquanto o sindicalismo vendido aceitou a perda de direitos, semeou desorganização e acordos com entidades patronais, nós chamamos para a autogestão de lutas, ação direta e basta de parasitas!
Sempre recomendamos o voto nulo ou a abstenção, chamando para tomarmos as rédeas de nossas vidas. O jogo de cena do sindicalismo oficial braço de partidos com seu "fora temer" não nos engana, nós queremos "Fora Todos" - não somos marionete dos partidos, temos que nos defender e essa defesa passa pela negação de qualquer decisão indireta, seja no parlamento ou nos sindicatos-são vagabundos parasitas.  Fora Todos por ação direta, contra as reformas e na defesa de nossos direitos.  Basta de parasitas, basta de profissionais sindicais! Façamos nós mesmos a nossa defesa, o jogo político é para canalhas, trabalhadores se organizam e lutam se querem oque é de direito. É absurdo esperar algo de positivo vindo dos parasitas com suas malas de dinheiro, de sindicalistas capachos de partidos ou da própria central que elegeu o atual presidente. Não elegemos ninguém, somos inimigos dos parasitas que estão roubando nossos direitos.


FORA TODOS! FORA TODOS!