quinta-feira, 19 de outubro de 2017

CONTRA O TRABALHO ESCRAVO.

 Total apoio aos servidores do MTE
em paralização contra as novas regras propostas pelo governo temer.
 Segundo a proposta do governo, trabalho escravo seria apenas quando configurada a privação de liberdade, deixando de lado todas as condições precárias presenciadas em todo o país -
 trabalho em troca de comida e jornadas exaustivas.
O governo fazendo todos os favores para os políticos escravizadores, o parlamento esta repleto de exploradores, com as novas regras o governo temer espera apoio político.
 Depois de decretar o fim dos nossos direitos conquistados o governo quer decretar também a volta da escravidão.
 Nós expressamos apoio ao sindicato de fiscais e auditores do MTE em paralização, essa luta é de toda classe trabalhadora, contra o governo que esta atacando nossos direitos e destruíndo antigas conquistas, por nosso bem estar e liberdade.

CONTRA AS NOVAS REGRAS PROPOSTAS PELO GOVERNO PARA CONFIGURAÇÃO DE TRABALHO ESCRAVO!


Os salários e a precarização laboral já são nossa escravidão moderna, ação direta em defesa de nossos direitos.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

QUANDO O SINDICATO NÃO TE REPRESENTA

ORGANIZE-SE E LUTE!
É comum que os sindicatos institucionais não representem os trabalhadores e suas reivindicações, nesses casos, reclamar não basta, é necessário se organizar e lutar.  A  organização de defesa dos trabalhadores é o verdadeiro sindicato, organizado no local de trabalho, sem profissionais sindicais ou comprometimento com partidos ou patrões, os interesses dos trabalhadores e nada mais.
 Para organizar um núcleo sindical em seu local de trabalho comece sem muito barulho, com um pequeno grupo mapeando companheiros para a luta e quais os caguetas.
 Importante identificar e documentar violações das leis trabalhistas e evitar listas membros do núcleo sindical.
 Debater e manter reuniões entre companheiros, nada de burocracia, a máxima horizontalidade, promover informação entre companheiros e tão logo seja possível, desenvolver um boletim do grêmio sindical e suas reivindicações, este boletim de acordo com o nível de organização de cada local de trabalho pode ou não se anonimo, dependendo do bom senso dos envolvidos.
Evite atritos e exposição desnecessária - atue dentro das metas estabelecidas em assembleia, não tente dar o passo maior que a perna.
 Para cada tipo de atividade existe um período melhor para paralizações ou greves, estes são os períodos de maior demanda.
  Não forneça informações aos sindicalistas oficiais, busque vínculos de solidariedade entre organizações semelhantes - lembre-se -'estamos no mundo todo e podemos pressionar patronais por todas as partes.  Não espere que o sindicalismo pelego te defenda - você é que faz sua defesa associado aos seus companheiros de trabalho.  Ao desenvolver o núcleo sindical procure laços de solidariedade sem fronteiras, trabalhe a educação dos associados e os métodos de ação direta que podem ser desenvolvidos de acordo com a necessidade.


O pelego não nos representa, nossa defesa nós mesmos fazemos.

Sindivários Araxá
COB/AIT


terça-feira, 10 de outubro de 2017

SOLIDARIEDADE AOS TRABALHADORES EM GREVE NA UNILEVER/VINHEDO

 Trabalhadores da Unilever Vinhedo estão em greve contra a demissão de mais de 100 pessoas da area de logística. O projeto da empresa é terceirizar, precarizando o trabalho, destruindo direitos e mantendo os lucros da multinacional.
 Durante piquetes trabalhadores foram reprimidos pela polícia a serviço da empresa.  Nossa total solidariedade aos trabalhadores da Unilever em greve.
Viva a luta dos trabalhadores e trabalhadoras - a solidariedade é arma quente.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

UNIÃO ENTRE OS EXPLORADOS

LUTA CONTRA OS EXPLORADORES!

Não acreditamos na falsa ideia e maldosa proposta de conciliação entre trabalhadores e patrões. Lembre-se quando empresas recomendam vestir a camisa e ser um operário padrão - para depois transferir produção para aumentar o lucro.
Os ricos não se importam conosco, nós, os explorados é que temos de lutar por bem estar e liberdade.
Não qualquer união, nada de parasitas, mas os próprios interessados exigindo, reivindicando e conquistando. Basta de tentativas de conciliação e sindicalismo pelego/parasita.
Trabalhadores e trabalhadoras de diversos setores - união, apoio mutuo e solidariedade entre nós.

Essa seção sindical por muitas vezes perseguida, por outras exitosa em suas lutas - jamais vendeu direitos ou se entregou. Por todos os anos de luta, e as tentativas fracassadas dos donos do poder de apaziguar conflitos inevitáveis. Não somos da corja de vendidos pregando paz sob opressão, a luta sempre foi frontal pois essa é a maneira de ser justo, leal e honesto -'de respeitar os principios de horizontalidade, enfrentar as lutas que temos.

Veja trabalhadores rurais sem seus direitos e operários demitidos porque o patrão resolveu lucrar mais em outra cidade.
Basta! A união entre nossa gente é o meio de defesa que temos. Não aceite a precarização, nossa proposta é de organização pois o sindicato oficial não defende seus direitos, atue em defesa do seu bem estar e liberdade se organizando. Autogestão de lutas!




terça-feira, 26 de setembro de 2017

VAMOS JUNTOS DERROTAR A TERCEIRIZAÇÃO

 A empresa que terceiriza atividades precariza o trabalho. Exemplos não faltan na mineração, que para nós é um dos casos mais emblemáticos, a segregação chega aos refeitórios e qualidade da comida, no básico e fundamental se nota a desigualdade muito mais profunda se falarmos de convênios e direitos.
Em um caso de fácil resolução por parte dessa seção sindical foi a precarização em terceirizados em hotelaria, exigimos, pressionamos e a companheira explorada com jornadas de até 18 horas teve suas exigências atentidas pela terceirizada pirata exploradora, ação direta e solidariedade venceram. A mesma lógica para todos os terceirizados, em minas ou hotéis, organização é nossa arma contra a exploração. Contra as terceirizações, por contratos diretos e incorporação de trabalhadores às plantas onde trabalham - sem atravessadores.  As greves pipocando e as empresas escondendo, o sindicalismo pelego não tem o controle, queremos assembleias e ação direta, queremos nossos direitos! Contra a
covardia  patronal, por nossos direitos e igualdade.
Terceirização é precarização
Segue a luta   Porque juntos e solidários nos defendemos.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

AÇÃO DIRETA EM DEFESA DOS NOSSOS DIREITOS

 Ação direta é o meio de luta para conquistar e manter nossos direitos. Não acreditamos em soluções indiretas, somente os diretamente interessados podem levar adiante as lutas que são de seu interesse, o sindicalismo institucional vende nossos direitos e exemplos não faltam. O caso da transferência de produção sem qualquer resistência por parte do sindicato dos trabalhadores em indústria alimentícia evidencia o parasitismo e inoperância dos sindicalistas pelegos. O caso do sindicato calçadista com sede na capital (Belo Horizonte) é mais um exemplo, a maioria dos companheiros e companheiras nem mesmo conheciam os próprios direitos, fato que colaborava e muito com a patronal, nós, através da ação direta impomos nossas reivindicações, sem acordos pelegos. Durante a greve geral de Abril 2017, alguns sindicatos conseguiram parar a produção nas minas, seria uma vitória completa, não fosse o isolamento praticado pelos sindicatos das categorias envolvidas.
Nós afirmamos a luta sindical e social por bem estar e liberdade, essa luta depende da ação direta, o envolvimento direto dos interessados em melhorias, a solidariedade efetiva e nenhum acordo com os exploradores, os possíveis acordos para cumprimento de reivindicações tem que passar por assembleia, nada de acordos a portas fechadas.  A defesa dos nossos direitos é nossa obra e de ninguém mais, a delegação de decisões favorece os parasitas do sindicalismo oficial, queremos fortalecer a classe trabalhadora, a nossa classe, os que tudo produzem. Os exploradores só entendem a linguagem do máximo prejuízo, da pressão, da greve; por bem estar e liberdade afirmamos ação direta!

-contra as terceirizações- pela contratação direta de todos os trabalhadores.

-pela redução da jornada de trabalho: 30 horas semanais, sem redução salarial

-contra a perseguição e demissão de grevistas.

-contra a reforma trabalhista e da previdência.

Por autogestão sindical

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Contra a mudança da Bem Brasil.

 Estamos contra a transferência da produção da Bem Brasil de Araxá para Perdizes. Acreditamos om conhecimento de causa que as duas plantas podem estar em funcionamento. São aproximadamente 70 demitidos em Araxá, todos os companheiros relatam o mesmo: ou aceita trabalhar na cidade vizinha ou é demitido, consideramos essa atitude abusiva, tendo em vista a qualidade de vida do trabalhador, o lazer e a convivência com a familia, a inoperância do sindicato oficial ficou escancarada, mobilização é urgente frente ao sindicalismo institucional pelego e o desprezo dos proprietários para com os trabalhadores. A empresa é uma das maiores produtoras de batata pré-frita do país, existe demanda para a produção em duas plantas e essa é nossa reivindicação - produção em Araxá e Perdizes. A empresa manteve convênios para alguns demitidos em determinadas situações, consideramos correto e vamos mais além, o trabalho em turno prejudica a saúde do trabalhador, casos de depressão e hipertensão são comuns em trabalhadores nessas condições, então, é necessária uma revisão da condição de saúde dos trabalhadores que tinham essa escala de trabalho.
Pela volta da produção em Araxá e contra as demissões!  Essa é uma luta por bem estar imediato e em defesa dos nossos postos de trabalho, a luta é gradual e a solidariedade entre nós uma arma.


Sindivários Araxá
COB-AIT